A História da Distribuição de Livros na ISKCON

 

 

  O movimento de sankirtan surgiu aproximadamente há 500 anos, em Navadvipa, Índia com o aparecimento de Śrī Caitanya Mahāprabhu, a mais magnânima de todas as encarnações da Suprema Personalidade de Deus, Śrī Krishna. A prática principal era o cantar os Santos Nomes do Senhor, na forma do Mahā-mantra:  

                   

                                 Hare Krishna Hare Krishna Krishna Krishna Hare Hare, Hare Rama Hare Rama Rama Rama Hare Hare.

 

-                                                                    Alguns anos mais tarde, a pedido de Śrī Caitanya Mahāprabhu, inicia-se a produção de literatura                                                                         vaishnava, com os escritos filosóficos dos Goswamis de Vṛndāvana liderados por Śrīla Rūpa                                                                                    Goswāmī e Śrīla Sanātana Goswāmī. Assumindo condições de vida extremamente simples, eles                                                                               passam a estabelecer as bases da bhakti yoga, a ciência do serviço devocional à Suprema                                                                                                  Personalidade de Deus.

 

                                                                     Após a partida do Senhor Caitanya e de Śrī Nityananda, uma encarnação divina do Senhor                                                                                   Balarama e principal associado do Avatara Dourado, Śrī Caitanya Mahāprabhu; Śrīmatī Jahnava                                                                               Devi, esposa do Senhor Nityananda assume, a pedido da comunidade Vaishnava, a posição de                                                                                         líder do movimento de sankirtan. Jahnava Matha solicita então a Śrīla Jiva Goswami, que residia em Vṛndāvana com o intuito de preservar e continuar o trabalho literário de Śrīla Rupa e Sanatana Goswāmīs, que enviasse este patrimônio inestimável de sabedoria para ser difundido na Bengala.

 

 Śrīla Jiva Goswami confia esta importante tarefa a seus discípulos:

Śrīnivasya Acharya e Shyamananda Prabhu, bem como a seu altamente

dedicado aprendiz, Śrīla Narottama dasa Thakura. É organizado, então,

o primeiro “viageiro” transcendental de distribuição de livros da história

do Movimento de Sankirtan.

 

 Transportando os livros em um baú reforçado e protegidos por guardas

armados e pelas bênçãos transcendentais da comunidade de devotos, a

caravana enfrenta muitas dificuldades pelo caminho, chegando mesmo a

ter todo o carregamento de livros roubado por ladrões mercenários a

mando de um rei ganancioso. Contudo, o líder do grupo, Śrīnivasya

Acharya, percebendo a natureza potencialmente devocional do rei,

aproxima-se dele e o conquista com sua pureza, convertendo-o

em discípulo.

 

 Com o passar do tempo e da influência direta de Śrī Caitanya Mahāprabhu e seus principais seguidores e discípulos, o Gaudiya Vaishnavismo teve sua filosofia pura e autêntica ofuscada pelos esforços egocêntricos da colonização britânica na Índia, desejosa de substituir a literatura védica pelas filosofias especulativas proeminentes na Europa, e pela literatura das seitas Sahajiya (pseudo-devotos) que mantinham padrões de conduta altamente pecaminoso e condenáveis em nome da cultura imaculada de Śrī Caitanya Mahāprabhu.

 

                                                    Todas essas tentativas, que tinham por objetivo extinguir o patrimônio filosófico Védico original, foram                                                                vencidas pela pureza e autêntica religiosidade e erudição de um único homem: Śrīla Bhaktivinoda Thakura                                                         (1838-1914) um grande acharya Vaishnava, pai de 10 filhos e magistrado.

 

                                                  Śrīla Bhaktivinoda Thakura praticamente redescobriu e restabeleceu sozinho o Gaudiya Vaishnavismo com                                                        suas mais de cem obras. Em 1896, também o ano de aparecimento transcendental de Śrīla Prabhupāda, o                                                        Acharya-fundador da ISKCON, Śrīla Bhaktivinoda Thakura envia as universidades de todo o mundo sua obra                                                     intitulada Śrī Gauranga-lila-Smarana-Stotra, contendo 104 versos sânscritos e uma introdução em inglês de                                                           47 páginas, intitulada “Śrī Caitanya Mahāprabhu: Sua Vida e Preceitos”.

 

                                                   Em 1874, em resposta às orações por “um raio de Vishnu” que o ajudasse na propagação do movimento para                                                    a consciência de Krishna, Śrīla Bhaktivinoda Thakura recebe como seu quarto filho, Śrīla Bhaktisiddhanta                                                                       Sarasvati Thakura.

 

 Tornando-se mais tarde discípulo iniciado de Śrīla Gaura Kisora dasa Babaji, Śrīla Bhaktisiddhanta

Sarasvati Thakura, a despeito da posição de gṛhastha (chefe de família) de seu pai, cultiva uma vida

dedicada à renuncia (brahmacārya e sannyāsa), demonstrando grande erudição desde muito cedo.

Em suas posteriores atividades como líder espiritual, ele abriu 64 templos e mantinha três prensas

tipográficas as quais ele utilizava na impressão de grande quantidade de literatura Vaishnava.

 

 Através de sua grande potência na pregação da mensagem de Śrī Caitanya Mahāprabhu, de seu

impecável caráter e vida regulada e de seu inesgotável entusiasmo na propagação da filosofia da

consciência de Krishna através da literatura, Śrīla Bhaktisiddhanta Sarasvati Thakura inspirou e

treinou seu principal discípulo, Sua Divina Graça A.C. Bhaktivedanta Swami Prabhupāda, o

Acharya-fundador da ISKCON, a seguir seus passos.

 

                                                  Śrīla Prabhupāda apareceu em 1896, em Calcutá e após completar seus estudos e dedicar aproximadamente                                                   40 anos de sua vida ao gṛhastha ashrama (vida familiar), tomou sannyāsa em 1959, passando a residir em                                                          Vṛndāvana, onde absorveu-se por completo na produção da principal obra literária de sua vida, o Śrīmad-                                                            Bhāgavatam, dando continuidade a sua produção literária iniciada com alguns artigos na década de 30 e                                                                       com a revista “Volta ao Supremo”, em 1944.

 

                                                   Após anos de muito esforço, escrevendo, mendigando dinheiro para imprimir, escolhendo o papel, corrigindo                                                    as provas e distribuindo pessoalmente os exemplares, tudo sozinho, Śrīla Prabhupāda parte em um navio                                                          cargueiro para o Ocidente, seguindo a ordem de seu divino mestre espiritual de pregar nos países de língua                                                       inglesa.

 

                                                    Chega aos EUA em 1965, com setenta anos de idade levando consigo um baú contendo 200 cópias dos três                                                        volumes iniciais do Śrīmad-Bhāgavatam, um par de caratalas (címbalos de mão) e com 40 rúpias (7 dólares)                                                       em dinheiro. Após muita dificuldade, em 1966, fundou a Sociedade Internacional para a Consciência de                                                                          Krishna, ISKCON, em New York.

 

 Desde os primeiros anos em New York, encorajou e encarregou seus discípulos a retomarem a publicação da “Volta ao Supremo”, com  seus próprios artigos.

 

 Em 1971, já com vários templos por todos os EUA a ISKCON possuía estoques repletos de caixas do livro KRSNA, sem saber, contudo, o que fazer com eles. Então, um dia, uma descoberta: dois brahmacārīs, ao abastecer o carro, convenceram o frentista a aceitar um livro KRSNA como pagamento. Entusiasmados com o sucesso inusitado, saem às ruas no dia seguinte, e conseguem distribuir dois livros. Começa aí a história da distribuição massiva dos livros de Śrīla Prabhupāda.

 

 Poucos meses depois, os números de livros KRSNA distribuídos chegam às centenas: Śrila

Prabhupada escreve: "estou certo de que Krishna abençoá-lo-á milhares de vezes a mais por

fazer este trabalho” e: “Desejo especialmente que meus livros sejam distribuídos amplamente”.

Estimulados pelas palavras de Śrīla Prabhupāda, devotos de todos os EUA e Europa passam a

estabelecer a distribuição de livros como prioridade.

 

 Em 1972, veio a idéia de viajar de cidade em cidade para distribuir livros. Os números aumentam

e Śrīla Prabhupāda aprovou. No natal daquele mesmo ano, os devotos descobriram

espontaneamente a maratona de Natal de distribuição de livros, distribuindo milhares de

exemplares nos três dias que antecederam o Natal. Śrīla Prabhupāda: “é quase inacreditável que,

sozinho, um templo tenha distribuído mais de 17.000 livros em três dias. Devido a este simples

esforço fica lhes garantida a volta ao lar, a volta ao supremo”.

 

 Constantemente novos recordes de distribuição de livros não apenas nos EUA e Europa, mas também em muitas outras partes do mundo, incluindo a América Latina, ultrapassavam os antigos. No início de 1973 o Bhagavad-gītā Como Ele É já superava em vendas todas as outras edições do Gītā produzidas anteriormente. A esta altura, vários títulos estavam à disposição dos devotos. Livros grandes como o “Bhagavad-gītā”, o "Śrimad-Bhagavatam" e “KRSNA - A Suprema Personalidade de Deus” e livros menores, como o "Sri Isopanishad", “Além do Nascimento e da Morte”, “Rumo a KRSNA”, “Raja-Vidya”, “A Perfeição do Yoga”, a revista “Volta ao Supremo” e também folhetos como “KRSNA Reservatório de Prazer”, entre outros.

 

 Novos métodos de distribuição de livros foram sendo descobertos. Aeroportos, concertos, estacionamentos e outros lugares passavam a ser alvos dos devotos, e os números cresciam além dos limites imagináveis. Em menos de dois anos já havia grande número de publicações em alemão, francês, italiano, espanhol e japonês e muitos milhares de exemplares já haviam sido distribuídos.

 

                                                                Em 1974, em Los Angeles, Śrīla Prabhupāda deu uma aula matinal histórica “... se ele ler um verso,                                                                       sua vida será bem sucedida... que ele leia um verso, uma palavra. Então isso é muito bom. Portanto,                                                                   é por isso que enfatizamos, por favor, distribuam livros, distribuam livros, distribuam livros.”

 

                                                               No mesmo ano, firmaram-se novos grupos exclusivamente com o propósito de distribuir livros.                                                                             Como destaque estava o grupo Rādhā-Damodara, no qual os devotos de sankirtan da BBT viajavam                                                                     em ônibus equipados com Deidades de Rādhā-Krishna. Śrīla Prabhupāda ficou muito satisfeito e                                                                       escreveu: “estou contente de que vocês tenham compreendido a importância de meus livros.”

 

                                                                  Austrália e Nova Zelândia entraram na competição transcendental mundial, lado a lado com os                                                                           melhores grupos dos EUA. Edições da revista “Volta ao Supremo” em bengali e híndi são impressas                                                                      na Índia, onde Śrīla Prabhupāda também introduzira a distribuição de livros aos membros

                                                                    vitalícios da ISKCON.

 

 Em 1975 a BBT EUA muda-se de NY para LA, e com os originais das traduções e significados

do Caitanya Caritāmṛta em mãos, assume a desafiante tarefa de concluir a produção de seus

17 volumes no curto prazo estipulado por Śrīla Prabhupāda. Os cálculos mais otimistas dos

devotos da BBT, mesmo após reorganizado todo o processo de produção de livros com vistas

à agilização da produção, prometiam a entrega de um exemplar a cada mês. Śrīla Prabhupāda

considerou que não era suficiente, e determinou um prazo máximo de dois meses para toda

a coleção. Os devotos, estarrecidos, porém entusiasmados, aceitam o desejo transcendental

de Śrīla Prabhupāda e munidos da mais alta tecnologia em impressão de livros disponível na

época e estabelecidos em um edifício inteiro próprio dedicado a produção de todas as etapas

do processo, conseguem cumprir a meta e, em 31 de agosto, dia de Vyasa-Puja de Śrīla

Prabhupāda, os devotos lhe entregam em mãos os últimos volumes prontos para sua

apreciação. Em novembro do mesmo ano é lançado o Caitanya Caritāmṛta em espanhol.

 

 Nos próximos anos, muitos volumes continuaram a ser impressos em diversas línguas,

e muitos novos campos de distribuição de livros foram abertos, acompanhando a forte

tendência expansionista da ISKCON. Muitas dificuldades foram superadas em nome da

satisfação de Śrīla Prabhupāda, destacadamente o sucesso obtido nos países da Europa

oriental comunista, onde estabeleceram-se gráficas próprias e distribuíram-se grandes

quantidades de livros e meios à condições políticas e sociais altamente desfavoráveis.

 

 Hoje com a impressionante cifra de mais de 500 milhões de exemplares distribuídos desde 1965, a BBT já é a maior editora do mundo no campo religioso. Após a partida de Śrīla Prabhupāda deste mundo mortal em 1977, a distribuição de livros permanece forte nas mentes e corações de seus seguidores sinceros. Sofrendo revezes em muitas partes do mundo, porém mantendo-se forte e crescente em muitas outras, inclusive a Índia, a distribuição de livros continua pronta a provar sua incomparável capacidade de atrair e forjar o caráter de seus praticantes e colaboradores com sinceras e genuínas rendição e humildades e tantos outros valores espirituais necessários para um ISKCON fiel à pureza transcendental de seu Acharya-fundador, Sua Divina Graça, A.C. Bhaktivedanta Swami Prabhupāda.

 

 

 

Os seis Gosvamis de Vṛndāvana 

Śrīnivasya Acharya

Shyamananda Prabhu

Narottama dasa Thakura

Śrīla Bhaktivinoda Thakura

Śrīla Bhaktisiddhanta Sarasvati Thakura

Sua Divina Graça A.C. Bhaktivedanta Swami Prabhupāda

Criado por: ISKCON - Sociedade Internacional para a Consciência de Krishna - Curitiba Mandir - Brasil

Acharya-Fundador  Sua Divina Graça A.C. Bhaktivedanta Swami Prabhupada

© 2014 Wix.com

  • Instagram ícone social
  • Facebook ícone social